Nossa História

Nossa história começou em 1936, com a oficialização do então Ginásio Dom Bosco, que iniciou suas atividades escolares em um prédio alugado numa rua atrás da Igreja Matriz, na cidade de Resende.

Era um ginásio que atendia não só aos moradores do município, como, também, aos filhos dos fazendeiros da região e dos municípios próximos, os quais vinham para estudar na cidade. Oferecia, então, o regime de internato para os meninos, embora funcionasse também como externato misto. Procedimento este, aliás, incomum para aquela época. O usual eram as meninas estudar em colégios de freiras e os meninos, em colégio de padres. Destaca-se também ter sido sempre o Dom Bosco uma escola laica.

Em meados de 1938, o Ginásio Dom Bosco muda de endereço, ocupando uma área de 25 000m2, na Avenida General Affonseca, nº 313, onde permanece até hoje.

É nessa época que também têm início as atividades da Academia Militar das Agulhas Negras.

Dentre as várias contribuições que a vinda da Escola Militar trouxe para Resende, em particular para o Dom Bosco, foi poder contar no seu quadro docente com os professores militares. Estes, além da sólida formação, permitiram que os alunos do antigo curso ginasial e científico usufruíssem das experiências deles, como professores de nível universitário. Seguindo a tradição, ainda hoje contamos com os professores militares integrando nosso quadro. No final da década de 60, assume a direção do Colégio o Professor José Fernando Tostes Vilella Leandro, iniciando um período de efervescência intelectual para a comunidade DOM BOSCO e para a cidade de Resende, com a fundação do Centro de Estudos do Pensamento Político Brasileiro. Foi através desse centro que a sociedade local, e não somente os professores do Dom Bosco, tiveram

acesso ao pensamento de personalidades da elite intelectual do país bem como de outros países.

O Centro de Estudos promoveu palestras, seminários, conferências e encontros com professores renomados, editorialistas de jornais brasileiros, orientadores de teses de diferentes cursos e faculdades do País, estabelecendo um campo possível para discussões sobre os grandes temas nacionais.

É dessa época a origem das inquietações que nos têm conduzido a buscar a modernidade e a necessidade de atualização permanente, mas sempre cuidadosos em preservar a essência que nos tem distinguido. Assim temos pensado e funcionado. Desde maio de 1985, a responsabilidade pela manutenção do Colégio passou para a Profª. Heloisa Ururahy Viilella Leandro.

Por tudo isso, as perspectivas abertas nos diversos campos do saber acabaram apontando para um modelo educacional permanentemente aberto ao novo, ao dinâmico, ao interativo, atento a uma realidade que se transforma a cada momento, sem, contudo, perder sua essência.

O desafio da renovação e a solidez da tradição têm sido os caminhos e os ideais que alimentam a nossa proposta educacional.


Voltar